O que você quer?

A questão é entender a mim mesmo, enxergar o que Deus realmente quer que eu faça…encontrar a idéia pela qual eu possa viver e morrer.  Soren Kierkgaard

 atitude.jpg

O que você quer? E o que você está fazendo a respeito daquilo que você quer? As coisas com as quais você está ativamente engajado são as que você deseja. Qualquer outra coisa é apenas meramente o que você diz que deseja.

No surgir de cada novo dia, use o seu tempo, energia, criatividade e recursos para trazer certos elementos à realidade. Essas são as coisas que você realmente deseja. Claro que você pode reconsiderar, re-priorizar, acrescentar ou subtrair daquilo que você deseja. Porém, o fato permanece de que aquilo que você realmente deseja está claramente evidenciado pelo seu compromisso consigo mesmo.

Portanto, esse é um momento propício para trazer à luz o que está realmente dentro do seu coração. Busque, rebusque, coloque isso diante de Deus. Talvez o processo seja até mesmo doloroso mas o resultado será um foco mais claro e ajustado e consequentemente um alvo mais realístico a ser alcançado.

Nélio DaSilva

Para Meditação:

Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará.  Salmos 37:5

A lenda do Monge e do Escorpião

scorpion.jpgMonge e discípulos iam por uma estrada e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, meteu-se na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora, o bichinho o picou e, devido à dor, o homem deixou-o cair novamente no rio. Foi então a margem tomou um ramo de árvore, adiantou-se outra vez a correr pela margem, entrou no rio, colheu o escorpião e o salvou. Voltou o monge e juntou-se aos discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

“Mestre, deve estar doendo muito! Porque foi salvar esse bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda! Picou a mão que o salvara! Não merecia sua compaixão!”

O monge ouviu tranqüilamente os comentários e respondeu:

“Ele agiu conforme sua natureza, e eu de acordo com a minha.”

Mensagem enviada por minha irmã Magna, hoje.

God bless you!

Michael Cyrus

E-mail/MSN: cyrus@cyrus.com.br

A força das palavras

lobo_um_tdg.jpgCerta vez, uma matilha de lobos estava viajando pela floresta, quando dois deles caíram num buraco. Assustado o grupo rodeou o buraco e, quando percebeu quão profundo ele era, gritaram que os dois podiam considerar-se mortos.
Os dois ignoraram o aviso e tentaram com toda a força e vontade pular para cima e sair daquilo que mais parecia um precipício . A matilha continuou gritando que não adiantava tentar sair porque o buraco era muito fundo e eles estavam perdidos, podiam economizar suas forças e considerar-se mortos. Depois de algumas tentativas, um dos lobos deu ouvidos ao aviso de que já estava perdido e desistiu, deitou-se e morreu.
O outro lobo continuou tentando sair, colocando em cada pulo toda a sua força. Mais uma vez o grupo gritou aconselhando a parar de tentar que isto só levava à frustração e sofrimento, que era melhor desistir e morrer logo. Enquanto a matilha gritava o lobo no fundo do buraco pulava cada vez com mais força e vontade até que conseguiu cair fora do buraco. Quando isto aconteceu os outros o rodearam perguntando, você não nos ouviu? O lobo explicou que era surdo. Durante todo tempo, ele acreditara que o grupo o estava encorajando.

Moral da história:

Existe poder de vida e morte no que se diz. Dizer palavras de encorajamento para alguém que está passando um momento difícil pode dar a energia e a ajuda que o outro precisa para completar uma tarefa.
Uma palavra destrutiva dita a alguém no momento errado, pode empurrar o outro ainda mais para o fundo do abismo. Tenha cuidado com o que diz, tente sempre usar uma linguagem positiva com aqueles que cruzam seu caminho. Qualquer um pode dizer coisas que roubam a energia que o outro precisa para atravessar tempos difíceis.