FUGINDO DAS MÁS CONVERSAÇÕES (Parte 2)


“A minha boca é um túmulo”, “não é da minha conta não, mas…”, “o que eu tenho para dizer, eu digo na frente”, com certeza você já ouviu uma destas frases um dia, elas geralmente fazem parte do inicio do discurso de quem quer comentar algo sobre a vida alheia! Estas consagradas frases e outras modernas sempre têm um mesmo tom, ou seja, geralmente elas sinalizam que vai surgir uma fofoca!

Às más conversações causam danos irreparáveis, pois elas são inconvenientes, o intuito delas é tornar público algo negativo de alguém, da maneira mais drástica e venenosa possível. Ninguém está livre de ser vítima das más línguas, mas pode com toda certeza, evitar vitimar alguém disso. Como já comentei no artigo anterior, o perigo não estar em somente falar de alguém, mas em disponibilizar os ouvidos para um fofoqueiro e deixar que ele semeie em você a semente da fofoca. Esse é o tempo de vigiar não somente no que se diz, mas também no que se ouve.

Observando o cotidiano, vemos que aqui ou ali, encontramos alguém disposto a fofocar, pois é muito fácil falar das pessoas, é muito fácil sugerir onde, quando, com quem e como elas deveriam estar, mas difícil mesmo é ter a capacidade de se colocar no lugar delas, na situação em que se encontram. É raro encontrarmos alguém que ao ouvir uma conversa com tom de fofoca, de imediato rechace a situação e diga “ao invés de comentarmos, porque não oramos por esta pessoa.”

Para muitos, a desgraça dos outros parece ser um assunto prazeroso, mas na verdade, vemos que isso reflete a falta de amor pelo próximo. Se não podemos conversar com a pessoa que necessita de aconselhamento pessoal, porque então comentar negativamente na ausência dela e se unir aos fofoqueiros de plantão? O que isso contribuirá para as nossas vidas? Pensando nisso, abaixo estão algumas dicas simples de como podemos evitar as fofocas e os fofoqueiros, sem perder a benção!

1. Mude você primeiro. Quando queremos que alguém mude positivamente, primeiro devemos iniciar esta mudança. Se você comentava sobre a vida alheia, não comente mais. Sabemos que toda mudança é gradativa, mas para ser concretizada com excelência, precisa ser praticada todos os dias. Exercite a mudança com determinação – não faça comentários sobre vida alheia.

2. Controle sua curiosidade. Toda fofoca nem sempre é um segredo, mas todo segredo pode se tornar numa fofoca. Mesmo que você esteja curioso para saber sobre a vida de alguém, controle-se, pois a verdade em seu tempo vem à tona, então não “caia na onda” dos fofoqueiros, evite ser “isca fácil” para quem quer disseminar uma fofoca através de você. Não perca a sua paz por um momento de curiosidade.  Tudo o que semeamos tem uma conseqüência.

3. Não dê ouvidos ao fofoqueiro. Assim como não há show sem público, da mesma forma o fofoqueiro precisa dos seus ouvidos para publicar as más conversações, o poder dele está na atenção que você dá a ele. Portanto, não desperdice seu tempo ouvindo o que não te edifica.

4. Cuidado com as palavras e com os gestos. O que você diz vai bem mais além do que o que você fala. Gestos, expressões faciais e a maneira como você se expressa são as entrelinhas do seu discurso, então, procure se conhecer melhor e evite contribuir com o objetivo dos fofoqueiros, pois você pode se tornar um deles, pelo simples fato de “colaborar” com o assunto em questão. Portanto, vigie na maneira como você se expressa.

5. Silenciar ou falar? Prefira se retirar. Quando uma fofoca está em seu nível crítico, como se diz vulgarmente “bombando”, qualquer um pode ser culpado, pode ser indiciado, então não seja cúmplice de um crime por falar alguma coisa (que pode servir contra você mesmo no futuro) ou por silenciar e testemunhar quando se fala mal de alguém, o melhor mesmo é se ausentar, isso evitará transtornos maiores. O seu tempo é valioso, não o desperdice falando ou dando ouvidos aos fofoqueiros de plantão. Se houver possibilidade, se retire do ambiente de fofoca.

6. Se não pude se ausentar, saia do assunto. Às vezes os comentários chegam na hora e no lugar em que menos esperamos, e nem sempre temos a oportunidade de sair do “local da fofoca”, mas neste caso podemos gentilmente sair do assunto em questão e focar coisas positivas. Saia da roda de comentários indevidos, sugerindo assuntos mais produtivos e positivos. Seja persistente nisso!

7. Responda uma pergunta com outra pergunta, assim você desarma alguém mal intencionado querendo usar a sua resposta como discurso para uma fofoca. Experimente responder: “Por que você quer saber sobre isso?” e se caso você não queira nem dizer nada como resposta, apenas sorria e gentilmente saia do assunto em questão.

8. Cuidado com o mensageiro falador. A mesma pessoa que fala mal de alguém para você, pode ser a mesma que fala mal de você para alguém. Este é o famoso perfil do “leva e trás”. Não conte seus segredos, não exponha a sua vida pessoal e reavalie a sua intimidade com ele, pois você poderá ser refém dele no futuro. Não seja flexível com o mensageiro falador, como ele não pode haver “bobeira”.

9. Posicione-se contra a fofoca. A maneira como você se comporta diz muito mais do que o que você fala. Não adianta dizer que não quer saber do assunto, mas continuar com os ouvidos atentos na conversa. Seja forte! Ainda a curiosidade esteja lhe corroendo por dentro, esteja decidido a mudar, deixe claro que você não quer se envolver com as más conversações. Os fofoqueiros liberam sutilmente seus venenos tentando lhe seduzir, então não deixe esse mal te dominar, com atitude, diga NÃO a fofoca.

10. Ocupe sua mente com coisas positivas. Não perca o seu foco, pois num mundo tão cheio de compromissos e responsabilidades, perder tempo com fofocas não é uma idéia inteligente. Por tanto, procure conhecer mais sobre coisas que edifiquem sua vida. Ore e peça sabedoria ao Criador para que você continue sendo uma referência em sua casa, no seu trabalho, na sua comunidade, como alguém que não se envolve com as más conversações. Faça a diferença positiva. Ocupe-se com boas conversações.

Michael Cyrus

5 comentários em “FUGINDO DAS MÁS CONVERSAÇÕES (Parte 2)

  1. É sempre bom lembrar o que a biblía diz: As más conversações corrompem os bons costume. Por isso ao invés de nos juntarmos afim de falarmos da vida dos outros , porque não falamos e testemunhamos dos benefícios de Deus em nossas vidas Pense o que Deus quer é que falemos do seu amor e da sua Palavra a fim de ganharmos almas para Cristo e pro reino do seu amor.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s